sábado, 29 de maio de 2010

Educação Ecológica

A comunidade científica vem alertando há alguns anos sobre a importância de uma mudança de comportamento do homem em sua relação com a natureza. A excessiva extração dos recursos naturais e sua conseqüente degradação têm trazido inúmeros problemas ambientais para a humanidade causando um impasse perante essa questão: ou mudamos o nosso comportamento ou estaremos decretando o fim da vida sobre a terra

Fritjof Capra diz que “uma comunidade humana sustentável terá que ser planejada de maneira tal que os seus estilos de vida ,tecnologias e instituições sociais respeitem, apóiem e cooperem com a capacidade inerente da natureza de manter a vida” Ou seja, a base para essa mudança é o cultivo de valores e atitudes baseadas num paradigma sistêmico por permitir a visão do todo, ao mesmo tempo em que estimula uma postura ambientalmente responsável. Isto porque uma vez internalizados, novos valores e atitudes tornam-se práticas cotidianas.

Dessa forma a educação se configura com o principal instrumento para o estabelecimento concreto dessa mudança principalmente se esta é intencionalmente direcionada para o ensino de práticas sustentáveis.

A educação ecológica é uma pedagogia que facilita esse entendimento por ensinar os princípios básicos da ecologia e, com eles um profundo respeito pela natureza viva, através de uma abordagem multidisciplinar baseadas na experiência e na participação. O envolvimento de crianças nesse processo é fundamental para o sucesso a longo prazo dos esforços para a sustentabilidade.

A compreensão sistêmica da vida que hoje está assumindo a vanguarda da ciência baseia-se na compreensão de três fenômenos básicos: o padrão
básico de organização da vida é o da rede ou da teia: a matéria percorre ciclicamente a teia da vida; todos os ciclos ecológicos são sustentados pelo fluxo constante de energia proveniente do sol. Esses três fenômenos básicos são exatamente os fenômenos que as crianças vivenciam, exploram e entendem por meio de experiências diretas com o mundo natural (CAPRA, 2006). Assim, a criança passa a compreender que é parte integrante da teia da vida proporcionando um senso de pertencimento, ponto fundamental para o sucesso dos esforços em busca da sustentabilidade.

A educação ecológica deve construir-se sobre a curiosidade natural das crianças e sobre o entusiasmo pela exploração, com metodologias que descubram a natureza pela ciência, matemática, leitura, escrita, estudos sociais e arte.
Dentre as diversas possibilidades metodológicas no ensino da pedagogia ecológica a criação e manutenção de hortas nas escolas têm se mostrado bastante apropriada, pois quando passam a fazer parte do currículo escolar, as crianças aprendem sobre alimentação, sobre matemática, biologia, física, química através dos ciclos de plantio, cultivo, colheita, compostagem e reciclagem. Estimulando, dessa forma, tanto o entendimento intelectual da ecologia como a criação de vínculos emocionais com a natureza, pois o contato com a Mãe Terra passa ser cotidiano, próximo, natural.

Aqui no Ceará,uma bela experiência realizada em três escola de Ubajara por Fernanda Freire(permacultora ,fotógrafa e consultora em Agricultura Biodinâmica)demonstra que é possível introduzir a educação ecológica na realidade escolar.È sobretudo uma ação ética para com o mundo e a esperança de que deixaremos filhos melhores para o planeta.Parabéns ,Fernanda!Eu,como mãe,te agradeço profundamente!



Para saber mais : http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/estante/estante_263229.shtml

Postado por Luciana Campos,mãe de Clarissa e Jasmin

2 comentários:

  1. também me faço presente aqui pra agradecer a fernandinha também! o trabalho dela é maravilhoso e inspirador. sou fã incondicional dela.

    junior animal.

    ResponderExcluir
  2. Viva a força da União!

    Bjos da Drica

    ResponderExcluir